"Bombou" na rede!

08/12/2011 00:52

Via Blog da Joice

 

Circula na Internet um vídeo que mostra agressão policial contra torcedores que saíam da Arena da Baixada após o término do Atletiba do último domingo. Assiste e faça o seu comentário. Eu já fiz o meu:

 

Coleira é a solução

 

Há algum tempo estive em Puerto Iguazú, Argentina. Lá verifiquei que não existe faixa de pedestres, poucos semáforos e nada de lombadas nas ruas. As baladas são isoladas acusticamente. Nos bares, a juventude se diverte em tom comedido (e nem por isso parecem ser menos alegres que os jovens brasileiros sob a mesma condição). Motociclistas andam sem capacete - não que eu faça apologia à moda no Brasil.

Mas o que chama a atenção é que em nosso país, daqui a pouco tem gente que vai ter que andar de coleira. Em casa, para nossa proteção contra os ladrões, nos municiamos com um aparato de parafernalhas  - cerca elétrica, alarmes, câmeras de vigilância - no intuito de inibir a ação criminosa, porque logicamente nada disso a evita efetivamente. No trânsito, além da selvageria declarada, placas de todos os tipos poluem visualmente nossos trajetos na tentativa desesperada de conter o índice de mortes provocadas pela estupidez sobre rodas. 

Nos jogos de futebol, em pouco tempo a solução vai ser acabar com os estádios. Porque quando não são as torcidas que se matam entre si, são os policiais que cometem excessos justificando que em meio a massa todo mundo é igual.  Ou seja, bastou o indivídiuo sair do estádio - pior se estiver trajado com a camisa do time -  "levar pau!" é regra. 

Não conseguimos ser iguais aos hermanos - muito embora ostentem uma arrogância que supera o espírito londrino do curitiboca genuíno - quanto mais nos aproximemos de países de "primeiro mundo". Isso vale tanto para os cidadãos comuns que se comportam feito animais, como os agentes do poder público - inclusive da segurança pública - que se portam inadequadamente.

Coleira, coleira neles!

Tópico: "Bombou" na rede!

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário