Coluna "Ô lôco, meu!" - Folha do Itupava # 2

13/12/2011 18:23

 

Nunca antes na história...

 

Eu, entrevistando o craque Zenon após a partida do QBFC X Corinthians Masters

 

Praticamente uma semana de festa. Justo, pois cinqüenta anos só se faz uma vez na vida. Foram inúmeras atrações distribuídas em vários locais. Destaque para o Espaço Cinquentenário, que abrigou apresentações artísticas sem precedentes.  

A programação abriu espaço para a inauguração das obras de revitalização da Estrada da Graciosa, premiação do Concurso Receitas de Tilápia, Baile da Terceira idade, Desfile Cívico, lançamento do novo livro que retrata a História de Quatro Barras, homenagens e discursos marcados por muitas emoções.

A agenda esportiva e cultural figurou de forma majestosa durante o evento. A começar pelo lançamento da nova versão do Hino municipal, uma produção genuinamente quatrobarrense. O ineditismo da Ultramaratona Internacional, reunindo vários atletas percorrendo mais de 160 quilômetros em apenas três dias de prova.

Nos palcos, brilharam grandes estrelas. Mas as principais foram “pratas da casa”. Dentre elas, os atores que encenaram a história do município, as meninas com suas magníficas apresentações de dança e nossos capoeiristas com suas performances étnicas e acrobáticas.

Tão expressivo quanto a atual fase que vive a cidade, em pleno auge de sua maturidade, foi o inesquecível jogo entre as equipes Masters do Quatro Barras e Corinthians, possibilitando às torcidas que lotaram as arquibancadas do C. T. Ninho da Gralha o contato com lendários craques como Zenon e Gilmar Fubá. E, mais do que isso, o prestígio à irreverente atuação do árbitro Clésio dos Santos, o famoso “Margarida”.

A memorável final da Copa Cinqüentenário – nome dado ao primeiro campeonato municipal de futebol de campo promovido pela Prefeitura ao longo destes cinqüenta anos, segundo relatos dos mais antigos entusiastas da modalidade: um jogo no qual os principais vencedores foram os espectadores. A sonoridade que enfeitou o estádio Osni Antonio da Silva naquele reluzente dia 6 de novembro ecoou aos quatro ventos por meio de dezenas e mais dezenas de vozes. Um show a parte. Paz dentro e fora dos gramados. Apenas um recorte da transformação cultural que vive a população.

Em constante movimento, Quatro Barras chega ao seu meio século. Uma pausa no tempo para não esquecermos quem somos. E também para lembrarmos a importância das escolhas a definirem o nosso rumo. Um intervalo oportuno para repousarmos nossos corações no remanso das profundas palavras do publicitário Nizan Guanaes: “Tudo o que fica pronto na vida foi construído antes, na alma”.

Feliz Natal. E muita luz em nossos próximos cinqüenta anos. 

 

Artigo publicado no Jornal Folha do Itupava edição n° 2 - dezembro de 2011.

Acesse o conteúdo do jornal na íntegra: http://issuu.com/exceuni/docs/folhadoitupava

 

 

 

Tópico: Coluna "Ô lôco, meu!" - Folha do Itupava # 2

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário