Maior Atletiba da história: uma final sem vencedores

05/12/2011 10:43

 

Com informações do Bem Paraná

 

Mesmo diante da vitória do rubronegro sobre o alviverde neste que pode ser considerado o maior Atletiba de todos os tempos, ambos os times saíram de campo com a sensação de perda. O Furacão rebaixado - porém conformado com o consolo da vantagem sobre seu maior rival. O Coxa sem sua tão sonhada vaga na Libertadores - mas satisfeito por ver seu grande adversário despencando pelas tabelas do futebol brasileiro, condição aliás, que até pouco tempo o mesmo se encontrava. Um prêmio para a nação alviverde. Mas o fato é que para o Atlético era suportável ter o Coritiba na Libertadores, desde que mantivesse-se na elite do futebol nacional. Do mesmo modo para o Coxa, contanto que alcançasse seu objetivo sobre o rival, vê-lo na segundona poderia ser algo a se esperar. A grande verdade é que não fcou barato para nenhuma das equipes - em que pese o prejuízo maior para o rubronegro, que agora amarga seu passeio a várzea.

 

Em campo o que se viu foi um jogo relativamente tranquilo, com comportamento exemplar das torcidas. Mas apesar do maior esquema de segurança já montado para um Atletiba, com cerca de 1,5 mil profissionais de segurança pública, a polícia teve trabalho para conter as ocorrências envolvendo torcedores dos dois times, especialmente após o término da partida. Segundo a Polícia Militar foram registradas 39 ocorrências até às 20 horas deste domingo (04), a maioria tumultos. Porém, rádios informaram que uma pessoa morreu em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, e outros seis confrontos com arma de fogo teriam sido registrados. A Polícia Militar divulga o balanço final das ocorrências atendidas no Atletiba hoje, às 10 horas.

 

Das 39 ocorrências confirmadas pela Polícia Militar, a maioria aconteceu no bairro Santa Cândida (6), seguido de Colombo, na Região Metropolitana (4) e Cidade Industrial (CIC) (3). As duas situações mais graves antes do jogo foram registradas na Praça do Expedicionário e no bairro Santa Cândida, onde quatro torcedores do Coritiba foram baleados. 


Depois do jogo — O cenário depois do jogo foi um pouco diferente. Apesar de uma saída bastante tranqüila dos torcedores que foram assistir à partida na Arena da Baixada, a PM teve trabalho, especialmente na Região Metropolitana de Curitiba. 


Em Araucária, a informação é de que um homem foi morto com um tiro na cabeça. De acordo com a rádio Banda B, outras confusões foram registradas ainda em Fazenda Rio Grande, Almirante Tamandaré e Pinhais. 


Houve ainda casos nos bairros CIC, Jardim Botânico, Tatuquara, Centro e Novo Mundo, em Curitiba. No Tatuquara um homem teria sido ferido por arma de fogo, e no Novo Mundo, um veículo teria parado em frente a um bar e efetuado vários disparos contra clientes.

A PM ainda atendeu uma ocorrência de uma vítima por arma de fogo na Vila Fuck, em Piraquara, mas informou que a princípio não há ligação com torcida organizada. A Polícia Civil deve investigar o caso.


 "Até o final do jogo consideramos que foi tranquilo tendo em vista a expectativa existente para esta partida", disse o Coronel Ademar Cunha sobrinho, Comandante do 1° CRPM, e da Operação Atletiba.

 

Embora os maiores tumultos após o término da partida tenham ocorrido na RMC, segundo a PM, em Quatro Barras

amigos  - embora torcedores de equipes adversárias - assistiram juntos ao grande Atletiba. 

Tópico: Maior Atletiba da história: uma final sem vencedores

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário